A mulher e suas múltiplas versões: Como organizar cada uma delas pós divórcio?

Nem só de organização da casa vive uma mulher, não é mesmo? A organização faz parte de um estilo de vida que você pode escolher viver, ainda mais depois de uma mudança tão grande na vida quanto um divórcio. 

Já parou para pensar quantas versões suas existem? Vamos falar de algumas delas aqui, e desenhar uma forma de viver em equilíbrio com cada uma delas. 

A primeira, e na minha opinião, a mais importante de todas é a sua versão MULHER! Parece óbvio, mas não é. Provavelmente, durante seu processo de divórcio foi o papel que mais sofreu; foi sendo esquecido, negligenciado e passou a somente existir, nada mais. Entenda que antes de qualquer outro papel que você exerça, você nunca deixará de ser mulher. Cuidar, acolher, respeitar e amar essa mulher é tudo o que ela precisa neste momento. 

O que você tem feito por você hoje?

Tem se cuidado como merece? 

Como pode melhorar à atenção à esta sua versão? 

Dica: Defina atividades e dias para cuidar de você. Vá a um spa, se puder, ou faça um em casa mesmo; cuide do seu cabelo, pele, unha; coloque a leitura em dia, ou aquela série ou filme que tanto quer ver, abra uma garrafa de vinho e faça um brinde à você. Você merece!

Muitas vezes após o divórcio, há um abalo financeiro, neste caso seu lado PROFISSIONAL pode exigir atenção. Reconquistar ou construir sua liberdade financeira exige planejamento e clareza dos próximos passos a seguir. Independente do lado financeiro, o trabalho, na maioria das vezes está diretamente ligado ao senso de realização; ao contribuir, ao se sentir útil e à compartilhar com outros seu conhecimento. 

Você tem um trabalho que hoje te realiza? 

Se não, qual seria esse trabalho? 

O que você precisa fazer para começar? 

Dica: O reconhecimento financeiro é consequência do quanto você contribui para outras pessoas e o quanto se sente realizada ao fazê-lo. Se hoje, você não faz o que gostaria, comece em paralelo com a atividade que exerce hoje, afinal, você tem contas pra pagar, mas também tem sonhos pra realizar. Dê pequenos passos, e quando perceber estará vivendo seus sonhos. 

Sua outra versão, também importante é a de MÃE, o que normalmente no pós divórcio é onde a maioria mais direciona suas forças e atenção. Sem dúvida, é necessário, a criança precisa ser acolhida, afinal a vida dela também sofreu uma mudança. Mas encontrar o equilíbrio entre a mãe e a mulher é fundamental para o bem de ambos. Não há como ser a melhor mãe sendo a mulher esquecida e frustrada. Quem estiver à sua volta, só será verdadeiramente feliz, se você estiver feliz. Se o pai não faz o papel dele, você não tem como fazer o papel dos dois e, sim, só os seus 50% bem feitos. 

Talvez seus filhos ainda sejam pequenos, e você ainda, talvez, não pense nisso, mas eles vão crescer, vão embora e viver suas próprias vidas. Óbvio, né? Mas te digo, por experiência, que não pensamos nisso até que chegue a hora. Por essas, e inúmeras outras razões, você tem que resgatar e reconstruir a mulher que existe aí, é com ela que você vai viver até o último dia da sua vida. 

Você tem dedicado mais tempo ao seu papel de mãe do que aos outros?

Com quem você pode contar para te ajudar nessa tarefa? 

Dica: Planeje tempo de qualidade com os filhos, façam juntos atividades que conectem todos os integrantes, seja uma ida ao cinema ou um cinema em casa, estejam juntos longe do celular. Curtam a companhia um do outro. Durante a infância são construídas as principais memórias, então pense em como pode proporcionar isso aos seus filhos. Quando as crianças estiverem como pai, use este tempo livre pra cuidar de você. Caso você não tenha essa troca quinzenal, pela ajuda aos avós, tios ou amigos para um tempo pra você. Você precisa!

Sua casa, que talvez seja nova ou seja a mesma, agora precisa ter a sua cara e seu ritmo. A sua versão DONA DE CASA precisa de um ajuste para reconstruir o lar. Talvez sejam necessários ajustes na rotina para a casa possa funcionar com tranquilidade e, você lembrar que o trabalho doméstico não termina nunca, e sempre recomeça no dia seguinte. Então, faça o que é possível, sem se cobrar demais.

Você tem uma rotina doméstica definida? 

É possível contratar alguém para te ajudar?

Dica: Envolva seus filhos das atividades da casa, além deles amarem (principalmente se forem pequenos), você já vai ensinando os cuidados com suas próprias coisas e a divisão de tarefas para não ficar sobrecarregada. Faça um plano de quando e quem executa cada atividade da casa. Alinhamento com todos os moradores faz as coisas acontecerem de forma mais tranquila, assim cada um sabe seu papel. 

Neste momento, seu papel ESPOSA não está sendo executando, mas não tem problema. Neste intervalo, esta função passará por um análise, atualização e melhoria para a próxima etapa. Nenhum relacionamento termina por culpa ou causa de um ou outro; um casamento é feito por duas pessoas que em algum momento se desviaram do caminho e, se perderam um do outro. Agora é hora de avaliar e reconhecer quando isso aconteceu; de forma alguma o objetivo aqui é buscar culpados ou julgar; e sim, corrigir a rota.

Onde me perdi como esposa? 

Qual o tipo de relacionamento quero viver? 

Onde posso melhorar no meu próximo relacionamento? Dica: Papel e caneta é uma ferramenta incrível para fazer esse tipo de análise. Escreva sem julgamento, coloque seus sentimentos pra fora. Isso traz clareza e, é só assim que se pode reescrever o relacionamento que você gostaria de viver.

Por: Bruna Guarnieri – Personal Organizer

Site: Você Mais Organizada – www.vocemaisorganizada.com.br

Instagram: @guarnieriorganizer

Minhas coisas, suas coisas: Chegou a hora de fazer as malas

Como organizar a pré-mudança de um divórcio.

Por Bruna Guarnieri

Personal Organizer

O divórcio é um momento muito delicado na vida do casal. Muitas mudanças, incertezas e emoções à flor da pele fazem parte do pacote. Pensando nesse momento conturbado, vamos falar hoje sobre como organizar a pré-mudança da sua casa para que essa transição seja a mais tranquila que o momento permite.


Mudar de casa é literalmente um evento, precisa de muito planejamento senão vira um caos e, acredito que é o que você menos precisa agora. Pensa o seguinte, aqui estamos trabalhando uma mudança dupla – de casa e de vida – é por isso que amo trabalhar com organização de mudança, é nessa hora que temos a chance de literalmente fazer um inventário em tudo o que temos; e é bem essa a ideia mesmo.


Passar por todos os cômodos, por cada objeto, cada peça de roupa, cada papel, e selecionar o que vai fazer parte da nova vida, ou não. De um modo geral, o desapego não é algo fácil para muitas pessoas, ainda mais num caso de divórcio onde uma avalanche de emoções invade o processo, mas acredite, este é um passo muito importante e precisa ser feito. Calma, não é para sair jogando tudo fora.


Bora colocar a mão na massa? Em cada cômodo da casa que você passar, você vai selecionar todos os itens, separando em 4 pilhas: doação, lixo, venda ou fica. Neste processo, você precisa identificar o que não tem mais nada a ver com você, com sua nova fase, o que você já não usava mesmo e só está ocupando espaço e o que você não quer levar mesmo por conta de lembranças (este é o momento de encerrar o ciclo e abrir espaço para o novo). Entenda, o que fazer com cada item que encontrar:


Venda: objetos em bom estado e possíveis de revender para fazer algum dinheiro (que você pode planejar de usar essa renda para redecorar ou usar para comprar algumas coisas novas para nova casa). Podem ser roupas, móveis, objetos de decoração – busque grupos de desapego e divulgue para os amigos, você vai se surpreender.


Doe: itens em bom estado, que ainda alguém pode se beneficiar mas que não tem valor para venda.


Lixo: itens que não estão em condições de serem doados porque estão quebrados, rasgados ou são muito íntimos. Lingeries em geral jamais devem ser vendidas ou doadas, é lixo mesmo. Minha sugestão é que passe a tesoura nelas, para não correr o risco de ninguém pegar.


Ficar: são itens que fazem sentido pra você e que serão levados para a casa nova.

Na hora de embalar os itens, identifique exatamente o que tem nas caixas, fazendo um inventário mesmo; para caso você não vá desembalar imediatamente, você saiba o que tem nas caixas caso precise ou quando for organizar a nova casa, fique muito mais fácil saber o que nela e para que cômodo vai.

Vai dar trabalho? Vai. Você vai acessar muitas lembranças? Vai. O importante aqui é ter em mente que você está construindo uma nova vida e, você só vai levar o que vai te fazer feliz. É uma faxina mesmo, não só física, mas na alma também.

Bruna Guarnieri Organizer (@guarnieriorganizer) • Fotos e vídeos do Instagram
Site: Você Mais Organizada – Personal Organizer Bruna Guarnieri (vocemaisorganizada.com.br)

7 Dicas para mudar o astral da casa pós divórcio

Por Bruna Guarnieri

Personal Organizer

Um divórcio vem repleto de mudanças previsíveis, outras nem tanto. Pensando que te ajudar a encontrar um caminho que possa ser mais leve nesse processo, separei essas 7 dicas para você mudar o astral da sua casa. Não importa se a casa é a mesma de antes, ou outra; o foco aqui é reencontrar sua identidade e nada melhor do que dar seu toque e deixar sua casa nova com a sua cara. 

Ah, e não estou falando em gastar rios de dinheiro, tá? A palavra de ordem é criatividade, e se você puder investir, qualquer valor vale muito. 

Vamos as dicas:

  1. Pinte a casa ou algum ambiente principal para você: coloque cor ou a textura nas paredes. Vai me dizer que nunca sonhou com uma parede colorida? Quando pintamos, renovamos a energia do ambiente dando aquela cara de novo. (ou, pode ser, um papel de parede, por que não?). Se você não pode contratar alguém para fazer isso, faça você mesmo, por que não? Além, de te manter com a cabeça e mão na massa, vai ser terapêutico, acredite. 
  1. Troque sua roupa de cama e toalhas: renovar seu enxoval vai dar aquela sensação de começar de novo. 
  1. Monte um cantinho só para você: pode ser para tomar um cafezinho, para sua leitura ou estudo. Ter um lugar seu para momentos de lazer ou descanso para recuperar a energia. Lembre-se, o foco é você; mesmo que você tenha filhos, se você não estiver bem, eles sentirão isso. 
  1. Tenha objetos na decoração que você goste:  ter neste novo ambiente objetos que te representem te ajudarão no processo de se reconhecer e recuperar sua identidade.  Pense em quadros, esculturas, tecidos e detalhes nas cores e temas que gosta para decorar o ambiente.
  1. Desfaça-se de qualquer objeto que te traga lembranças da sua vida anterior: já que a decisão foi tomada, agora é hora de seguir em frente. Viver o luto sim, mas cultuar a dor não. Sendo assim, devolva, doe ou jogue fora objetivos que lembrem o (a) ex. Bora desapegar, vida nova!
  1. Tenha plantas e flores na decoração: além de deixar o ambiente muito mais colorido e bonito, elas dão vida ao ambiente, e com certeza mudam a “vibe” da casa. Encontre seu tipo favorito e, use sem moderação. Ou até quem sabe, comece sua própria horta com temperos, já pensou nisso? 
  1. Use e abuse de cheiros: tanto no ambiente como nas roupas de cama e toalhas. Você pode comprar os aromatizadores prontos com seu cheiro favorito, ou ainda fazer sua própria mistura com óleos essenciais. Quem não gosta de uma casa cheirosa, não é mesmo? 

Dê pequenos passos todos os dias, só não desista. Afinal, só você vai poder passar pelo processo, por mais apoio que você tenha, é você com você mesmo. 

Quando tudo passar, você vai descobrir que é mais forte do que imagina, que tem habilidades que nunca imaginou ter, e daqui algum tempo, de que existe sim vida após o divórcio. Você merece seu melhor!

E conta pra gente quais dicas colocou em prática, e mostra lá no nosso perfil do Instagram essas mudanças. Vamos adorar saber!

Bruna Guarnieri (@brunaguarnieriorganizer) • Fotos e vídeos do Instagram
Site: Você Mais Organizada – Personal Organizer Bruna Guarnieri (vocemaisorganizada.com.br)