O Divórcio não é o fim

Assim como há o Dia da Mulher, Dia dos Namorados, Dia do Avós, entre outras datas comemorativas, há também o Dia dos Divorciados!  Sim, dia 06 de janeiro, justamente no comecinho do ano, e não é à toa, não.

Muitas mulheres quando se divorciam, ou até mesmo antes de se divorciarem, e estão vivendo um casamento em crise, pensam que a vida termina ao se divorciar, que não há mais o que viver. Algumas, inclusive, se dedicam integralmente aos filhos e se esquecem de si mesmas.

Mas tenho uma boa notícia pra você! O divórcio não é o fim! Se até data para se comemorar existe, acredite, não é o fim mesmo.

Quando ressignificamos os fatos da nossa vida e nos perguntamos qual o aprendizado podemos ter com cada situação vivida, a chave vira. O ponto de partida é esse. Tudo na vida tem um aprendizado. Ninguém passa por nós sem um motivo. Quando descobrimos o aprendizado, nos tornamos melhores e mais sábias.

Ressignificar é dar um novo significado. É descobrir que você pode se tornar um ser mais evoluído com tudo que viveu. Quando deixamos a luz adentrar na ferida, a cura vem. 

E vem de um jeito que modifica tudo. O que parecia ser o fim, torna-se um grande Recomeço.

Ressignifique!

Feliz Recomeço!

Por, 

Renata Lemos

OAB/ES 24437

Advogada da Mulher

Acompanhe Renata Lemos pelo Instagram: https://www.instagram.com/renatalemos.adv

Feliz Dia do Divórcio!

06 de janeiro foi escolhido para comemorar a data porque é no início do ano que aumenta a procura pela abertura de processos de divórcio.

Quem foi que disse que somente quem está in love pode comemorar o Dia dos Namorados, em 12 de junho? Depois de um relacionamento que não deu certo, os divorciados também já podem celebrar a vida nova em uma data especial; e, não por acaso, logo no comecinho do novo ano. 06 de janeiro é o Dia do Divórcio!

A data, criada por advogados, marca exatamente o período em que, segundo o periódico britânico “The Independent“, os escritórios de advocacia registram maior procura pela abertura de processos de divórcio. O mês de janeiro não é só o início de um novo ano, mas também, simbolicamente, de ‘virada de página’, de um novo calendário também na vida das pessoas.

Em 2019, a Relate, uma organização britânica de apoio a relacionamentos, notou que nos três primeiros dias úteis de janeiro, aumentaram em 84% as visitas ao site da entidade, em comparação aos números de 2018.

No Brasil, os números de pedidos de divórcio também crescem no início do ano. Mas em 2020, um ano atípico, a pandemia ajudou a acelerar o processo em muitos casais. Somente entre os casos de divórcio consensual, houve um aumento de 54% entre maio e julho.

“Muitos casamentos que já estão em crise terminam quando os casais são obrigados a passar mais tempo juntos, como vem ocorrendo agora com a pandemia. Em outros anos, o mês de janeiro seria o ideal para concretizar o desejo da separação porque, além da máxima “ano novo, vida nova”, para muitas pessoas não seria conveniente dar a notícia em dezembro e ‘azedar o clima’ nas festas de Natal e Réveillon entre amigos e parentes”, diz a advogada Tamina Brandão, colaboradora do site Idivorciei e especialista em divórcio.

No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um em cada três casamentos terminam em divórcio. E para ajudar as pessoas que se separam e enfrentam esta fase tão delicada, acaba de ser lançado o Idivorciei, hub de serviços e soluções que conta com a orientação de especialistas em dez áreas prioritárias: saúde emocional, assessoria financeira, assessoria jurídica, carreira profissional, cursos, moradia, bem-estar, viagens, compras e relacionamentos.

Por: Cristina Freitas

www. libris.com.br