fbpx

A mulher e suas múltiplas versões: Como organizar cada uma delas pós divórcio?

Nem só de organização da casa vive uma mulher, não é mesmo? A organização faz parte de um estilo de vida que você pode escolher viver, ainda mais depois de uma mudança tão grande na vida quanto um divórcio. 

Já parou para pensar quantas versões suas existem? Vamos falar de algumas delas aqui, e desenhar uma forma de viver em equilíbrio com cada uma delas. 

A primeira, e na minha opinião, a mais importante de todas é a sua versão MULHER! Parece óbvio, mas não é. Provavelmente, durante seu processo de divórcio foi o papel que mais sofreu; foi sendo esquecido, negligenciado e passou a somente existir, nada mais. Entenda que antes de qualquer outro papel que você exerça, você nunca deixará de ser mulher. Cuidar, acolher, respeitar e amar essa mulher é tudo o que ela precisa neste momento. 

O que você tem feito por você hoje?

Tem se cuidado como merece? 

Como pode melhorar à atenção à esta sua versão? 

Dica: Defina atividades e dias para cuidar de você. Vá a um spa, se puder, ou faça um em casa mesmo; cuide do seu cabelo, pele, unha; coloque a leitura em dia, ou aquela série ou filme que tanto quer ver, abra uma garrafa de vinho e faça um brinde à você. Você merece!

Muitas vezes após o divórcio, há um abalo financeiro, neste caso seu lado PROFISSIONAL pode exigir atenção. Reconquistar ou construir sua liberdade financeira exige planejamento e clareza dos próximos passos a seguir. Independente do lado financeiro, o trabalho, na maioria das vezes está diretamente ligado ao senso de realização; ao contribuir, ao se sentir útil e à compartilhar com outros seu conhecimento. 

Você tem um trabalho que hoje te realiza? 

Se não, qual seria esse trabalho? 

O que você precisa fazer para começar? 

Dica: O reconhecimento financeiro é consequência do quanto você contribui para outras pessoas e o quanto se sente realizada ao fazê-lo. Se hoje, você não faz o que gostaria, comece em paralelo com a atividade que exerce hoje, afinal, você tem contas pra pagar, mas também tem sonhos pra realizar. Dê pequenos passos, e quando perceber estará vivendo seus sonhos. 

Sua outra versão, também importante é a de MÃE, o que normalmente no pós divórcio é onde a maioria mais direciona suas forças e atenção. Sem dúvida, é necessário, a criança precisa ser acolhida, afinal a vida dela também sofreu uma mudança. Mas encontrar o equilíbrio entre a mãe e a mulher é fundamental para o bem de ambos. Não há como ser a melhor mãe sendo a mulher esquecida e frustrada. Quem estiver à sua volta, só será verdadeiramente feliz, se você estiver feliz. Se o pai não faz o papel dele, você não tem como fazer o papel dos dois e, sim, só os seus 50% bem feitos. 

Talvez seus filhos ainda sejam pequenos, e você ainda, talvez, não pense nisso, mas eles vão crescer, vão embora e viver suas próprias vidas. Óbvio, né? Mas te digo, por experiência, que não pensamos nisso até que chegue a hora. Por essas, e inúmeras outras razões, você tem que resgatar e reconstruir a mulher que existe aí, é com ela que você vai viver até o último dia da sua vida. 

Você tem dedicado mais tempo ao seu papel de mãe do que aos outros?

Com quem você pode contar para te ajudar nessa tarefa? 

Dica: Planeje tempo de qualidade com os filhos, façam juntos atividades que conectem todos os integrantes, seja uma ida ao cinema ou um cinema em casa, estejam juntos longe do celular. Curtam a companhia um do outro. Durante a infância são construídas as principais memórias, então pense em como pode proporcionar isso aos seus filhos. Quando as crianças estiverem como pai, use este tempo livre pra cuidar de você. Caso você não tenha essa troca quinzenal, pela ajuda aos avós, tios ou amigos para um tempo pra você. Você precisa!

Sua casa, que talvez seja nova ou seja a mesma, agora precisa ter a sua cara e seu ritmo. A sua versão DONA DE CASA precisa de um ajuste para reconstruir o lar. Talvez sejam necessários ajustes na rotina para a casa possa funcionar com tranquilidade e, você lembrar que o trabalho doméstico não termina nunca, e sempre recomeça no dia seguinte. Então, faça o que é possível, sem se cobrar demais.

Você tem uma rotina doméstica definida? 

É possível contratar alguém para te ajudar?

Dica: Envolva seus filhos das atividades da casa, além deles amarem (principalmente se forem pequenos), você já vai ensinando os cuidados com suas próprias coisas e a divisão de tarefas para não ficar sobrecarregada. Faça um plano de quando e quem executa cada atividade da casa. Alinhamento com todos os moradores faz as coisas acontecerem de forma mais tranquila, assim cada um sabe seu papel. 

Neste momento, seu papel ESPOSA não está sendo executando, mas não tem problema. Neste intervalo, esta função passará por um análise, atualização e melhoria para a próxima etapa. Nenhum relacionamento termina por culpa ou causa de um ou outro; um casamento é feito por duas pessoas que em algum momento se desviaram do caminho e, se perderam um do outro. Agora é hora de avaliar e reconhecer quando isso aconteceu; de forma alguma o objetivo aqui é buscar culpados ou julgar; e sim, corrigir a rota.

Onde me perdi como esposa? 

Qual o tipo de relacionamento quero viver? 

Onde posso melhorar no meu próximo relacionamento? Dica: Papel e caneta é uma ferramenta incrível para fazer esse tipo de análise. Escreva sem julgamento, coloque seus sentimentos pra fora. Isso traz clareza e, é só assim que se pode reescrever o relacionamento que você gostaria de viver.

Por: Bruna Guarnieri – Personal Organizer

Site: Você Mais Organizada – www.vocemaisorganizada.com.br

Instagram: @guarnieriorganizer

Seja nosso parceiro preenchendo o cadastro abaixo!